Quando há uma multiplicação anormal e desordenada nas células na região da próstata causa um inchaço (edema) e isso pode indicar início de um câncer de próstata. O câncer é gerado por excesso de criação do hormônio testosterona.

É importante observar o animal diariamente, como estão as suas fezes e sua urina, seu apetite e sua animação. Tudo é informação para ir avaliando a saúde do cachorro. As doenças graves ou um câncer de próstata, não costumam mostrar sintomas no estágio inicial. Conforme vai complicando, começa a aparecer alguns sintomas.

Um cachorro que tem dificuldades para urinar, que tem gotejamento de sangue pelo pênis ou urina sangue, ou tem infecção urinária, dificuldade ao defecar e ou que as fezes em formato de fita, ou que tenha espasmos musculares ao tentar urinar, precisa ser investigado. Pode apresentar outros sintomas menos específicos, entre eles vômito, apatia e febre.

Tendo um diagnóstico precoce, existe grandes possibilidades de conseguir uma cura. Os diagnósticos tardios tendem a levar a óbito e por isso é importante a prevenção.

No caso de aparecimento de tumor, a castração não funciona, a castração apenas previne. Através de estudos, dizem que ainda mesmo castrado, o cachorro pode vir a desenvolver a doença e só é baixos casos de acontecer.

Com a prevenção é a única forma de evitar todo esses desconforto com seu cachorro, fazendo check-up no veterinário, realizando radio-X, ultrassom abdominal, exames séricos (exame de sangue) e exame de urina. E além disso tudo é importante a palpação retal.

O câncer de próstata ocorre normalmente em cachorros adultos e idosos não castrados, que são de um grupo de risco do câncer de próstata. A melhor prevenção é a castração, evitando de desenvolver a afecção por algum fator genético. Alguns estudos mostram que isso é capaz de reduzir a doença no cachorro.