Mauricio de Sousa em 1959 começou a desenhar os quadrinhos e a sua primeira tirinha foi para o Jornal Folha da Manhã. Tinha como os primeiros personagens o Bidu e o Franjinha e continuou a desenhar os demais personagens. Em 1960 teve a criação do Cebolinha, em 1961 veio o Cascão e em 1963 a Mônica e depois a Magali.

Em 1970 chegava nas bancas o gibi “Mônica e sua turma”, o sucesso foi grande, que Maurício criou novas histórias com a “Turma da Mônica. Conquistou o público e se consagrou, se tornou um dos maiores cartunista e um dos escritores mais famosos da literatura infantil brasileira.

Floquinho, o cachorro de Cebolinha, é um cachorro enorme, peludo, na cor verde e que parece uma moita, não dando definição do que é a cabeça ou a calda. Ele é muito leal e companheiro e nunca desgruda de Cebolinha. A sua pelagem é grande e espessa. Acontece com ele, de “sugar” os objetos para dentro de seus pêlos, independentes do tamanho. E de vez em quando acaba escapando por acaso os objetos, quando ele se sacode, o que o torna bem engraçado.

A primeira aparição de Floquinho foi em 1963, numa tira da Folha de São Paulo, Lá Cebolinha o apresenta como o cachorrinho de um primo seu, “Lá do sítio”. Mas Floquinho acabou ficando como seu cachorro. Maurício disse que teve a inspiração de Floquinho num esfregão.

Foi anunciada pela primeira vez a raça do Floquinho, em 1995 quando a leitora, enviou uma foto de seu cãozinho Lhasa Apso, pois achava muito parecido com Floquinho, logo depois foi publicada a história “A Raça do Floquinho”. A informação colocada na história é que a Lhasa Apso é uma raça tibetana.