Pode parecer inofensivo, mas é algo que pode gerar problemas de saúde para seu pet, a troca da ração. As dietas e as necessidades diárias de cada um é diferente, não é possível adaptar.

A comida dos gatos chamam a atenção dos cachorros pelo sabor. Gatos têm apenas 470 papilas gustativas (eles não conseguem sentir sabores doces, por exemplo). Os cães possuem 1.700 papilas e os humanos 9 mil. O intestino delgado do cão mede de 1,8 a 4,8 metros, cerca de 3 a 7% do seu corpo, o do gato é de 0,5 a 1,7 metro, cerca de 5% do seu corpo.

As rações, são pensadas para suprir as dietas de cada tipo de animal. Caso um gato seja submetido à comida do cão, ficaria sem diversos nutrientes. O cão pode engordar e ficar obeso, pois a ração de gato costuma ter mais energia.

Essa troca na alimentação pode gerar diarreia, vômito e desequilíbrios nutricionais. Os gatos precisam de atenção à água ingerida, tendem a ter mais problemas renais e urinários. O cão, por efeitos metabólicos, aumentará a probabilidade de desenvolver problemas nos rins, cálculos renais.

A Taurina precisa estar na alimentação felina, pois não é produzida pelo seu pâncreas. A falta de taurina pode provocar problemas no coração, nos olhos e na digestão. O Ácido araquidônico: Os cães produz, mas os gatos não, na falta pode causar problemas de pele, nos rins e no fígado. A Vitamina A está presente na comida de cão e em quantidades insuficientes para os gatos. A falta dela pode provocar fraqueza muscular e dificuldade em enxergar à noite.

Sabendo disso deve-se evitar a troca da ração. Quem tem cão e um gato, monitore a alimentação dos mesmo ou troque os horários para evitar o encontro da alimentação deles.