O impacto da bebida alcoólica no organismo do animal, é bastante grande, porque a absorção do álcool acontece rapidamente. Após a ingestão do álcool, entra na corrente sanguínea, tem a absorção do estômago e no intestino delgado, metabolizado no fígado e transformado em ácido acético (É o principal ingrediente do vinagre, cuja formulação consiste de aproximadamente 5% de ácido acético e 95% de água. Na forma pura é um líquido incolor com odor pungente, altamente corrosivo para metais).

Esse processo para o animal é muito agressivo, pois seu sistema digestivo em contato com álcool, traz diversas complicações e intoxicações. A coordenação motora do animal é afetada, sua mobilidade é comprometida e isso o deixará em péssimo estado. Podendo gerar acidentes, quedas, colisões ou até mesmo ficar desacordado.

O organismo do animal não está preparado e nem tem estrutura para receber bebida alcoólica. Após a ingestão, pode ocorrer náuseas, vômitos, agitação, alucinação, depressão respiratória, midríase (pupila dilatada pelo efeitos colaterais de medicamentos ou uso de drogas estimulantes), hipotermia, taquicardia e coma.

É importante reforçar que a bebida alcoólica, não é alimento e nem bebida para o animal. A bebida alcoólica tem caráter de “droga de abuso”, mesmo sendo lícita e que pode causar intoxicações variando de leves a graves. Em casos mais severos o animal chega ao óbito.

Em hipótese alguma dê bebida alcoólica ao seu animal e nem deixe de alguma forma exposta, causando ingestão acidental. A bebida tem excesso de açúcares na sua composição e isso pode ser atrativo ao animal, embora sabemos que não é nada benéfico. Pode gerar diversos problemas de saúde como: úlceras, gastrite, baixa imunidade, problemas renais e neurológicos e por ter tantas reações, pode não resistir aos danos e morrer.

Além de poder ser indiciado por maus tratos, é também um crime ambiental e a lei federal, prevê prisão de 3 meses a 1 ano para quem pratica maus tratos e de multa. Em caso de morte do animal, a punição pode ser aumentada. As denúncias podem ser feitas ao IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) pelo telefone: 0800 61 80 80 (gratuitamente) ou pelo e-mail: linhaverde.sede@ibama.gov.br